A busca de significado para uma bela velhice

Quem tem interesse na “Busca de significado para uma bela velhice”?

Todo mundo? Talvez. Eu? Com certeza. Quem mais? Você?

De uma coisa eu sei:

-Os 6.800 inscritos na MaturiFest 2021 que estiveram ligados nos quatro dias do evento buscam a bela velhice;
-As 1.200 pessoas que participaram das oficinas não só querem como também já aprenderam a construir suas vidas com significado;
-Todos os 800 participantes das salas de networking criaram, ou mantiveram, os seus propósitos de vida ao conhecerem novas pessoas, ou seja, já constroem esta jornada.

Esses números impressionantes demonstram o quão intensos, produtivos e divertidos foram os quatro dias de MaturiFest.

Neste texto, apresento um resumo do que aconteceu no quarto, e último dia, do evento, para que você entenda a razão de tanta gente ter participado desta atração que ficará na história da valorização do público 50+ no Brasil.

Projeto de vida e significado para uma bela velhice

Nesse aguardado painel, Mórris Litvak, CEO da Maturi, recebeu Tony Ramos e Mirian Goldenberg para dialogarem com o público sobre suas percepções e trabalhos relacionados sobre ao tema. Tony Ramos, um dos mais renomados atores nacionais, com mais de 58 anos de carreira é mestre de cerimônias, palestrante e influenciador 70+, e Mirian Goldenberg Antropóloga, pesquisadora, professora titular da Universidade Federal do Rio de Janeiro e escritora com vários livros publicados, inclusive o que inspirou o nome do painel do dia “A invenção de uma bela velhice”.

Anotem essas pílulas de aprendizado com a Professora Mirian:

“Comecei a minha pesquisa com cinco mil homens e mulheres com o objetivo de analisar os diferentes medos e significados do envelhecimento no Brasil, buscando compreender porque as mulheres falam mais da invisibilidade social e da decadência do corpo, e os homens do medo da aposentadoria, da impotência e da dependência física. E também porque as mulheres valorizam mais a liberdade e amizade na velhice, e os homens o mundo da casa da família e os projetos de vida.”

“Em 2020 o número de nonagenários no Brasil dobrou, passou de 455 mil para 856 mil segundo o IBGE, a previsão é que os nonagenários cheguem a ser mais de cinco milhões em 2060.Cresce também o número de nonagenários ativos lúcidos e independentes, como mostrou uma matéria recente da Revista Veja sobre a beleza dos 90 em que quatro dos meus amigos nonagenários são os protagonistas, e provam que ter uma vida com projetos é essencial para construir uma bela velhice.”

“E se os meus melhores amigos de quase 100 anos estão lutando com todas as suas forças para sobreviver, e se adaptaram a uma dramática realidade, eu não tenho direito de parar de lutar. No Brasil se eles estão enfrentando essa tragédia com uma coragem admirável. Não posso me afogar no pânico, depressão e desesperança.”

“E termino então com a mensagem principal do meu livro “A invenção de uma bela velhice” apesar das circunstâncias trágicas ninguém pode destruir a minha liberdade de escolher. A melhor atitude que eu posso ter frente ao sofrimento inevitável é escutar, conversar, cantar, ler, rir e brincar com os meus melhores amigos. É muito mais do que o propósito da minha pesquisa. É o meu projeto de vida o que dá significado para minha bela velhice.”

velhice

Life long Learning e intergeracionalidade – um aprendizado contínuo!

Muito aguardado foi o encontro mediado pela Márcia Monteiro, Chefe de Redação do Globo Repórter, cujo tema tem gerado muito interesse daqueles que entendem o conceito de que “nunca é cedo ou tarde demais para se aprender”, uma filosofia que tem sido adotada por pessoas e organizações.

Márcia conversou com Vivian Rio Stella, Benjamin Rosenthal e Ana Joao Sepulveda, experts que debateram a máxima de que “precisamos estar abertos para novos conhecimentos, e saber que não é o seu conhecimento que importa mas sim sua capacidade de aprender.”

Cada vez mais amplia-se o conhecimento corporativo sobre as vantagens no intercâmbio de conhecimentos entre gerações diversas. “O envelhecimento tornou-se uma questão social relevante, havendo necessidade de novas oportunidades e sinergias, de forma significar a vida dos mais velhos, tornando-os ativos e integrados na sociedade.”

Profissão “Influenciador 50+”

Outro momento esperado no último dia de MaturiFest foi o painel “Influenciador 50+”, nas palavras de conhecidos maturis que hoje atuam como influenciadores digitais. Eles trouxeram situações reais e dicas para criar, desenvolver e realizar projetos nos meios digitais como forma de inspirar àqueles que pensam em se dedicar a essa profissão e também como forma de esclarecer dúvidas relacionadas à essa atividade.

Maria Cândida, Broadcast TV Globo e Influencer Mulher Ageless 40+ 50+, Rosangela Marcondes, Influenciadora Digital na It Avó e Criadora de Conteúdo no Blog Domingo Açucarado e Dimas Moura, Fundador e criador de conteúdo do MAIS 50, foram recebidos por Clea Klouri, co-fundadora da Hype 50+/ Silver Makers, sócia de novos negócios e relacionamento com o mercadona Yunus Negócios Sociais, e Head de Aceleração do Projeto Vitasay Start 50, e contaram sobre situações reais do universo do Influenciador 50+, além de esclarecer dúvidas dos participantes.

Deram dicas de como criar, desenvolver e realizar projetos nos meios digitais, como forma de inspirar àqueles que pensam em se dedicar a essa profissão.

Resultados da pesquisa sobre a pandemia

Um outro grande momento do último dia da MaturiFest2021 foi a apresentação dos resultados da Pesquisa Maturi 2021.

Esse estudo realizado pela Maturi, em parceria com a NOZ Pesquisa e Inteligência, contou com a participação de 2 mil pessoas com 50 anos, ou mais, e teve por objetivo saber como os maturis estavam lidando com o segundo ano de pandemia.

Segundo Mórris Litvak, CEO e fundador da Maturi, “o estudo mostrou um interesse grande pelo mundo digital para trabalhar, se atualizar e se conectar, tanto com a família quanto para fazer negócios de forma mais profissional. Vimos bastante a intersecção entre o físico e o digital nessa população, que ficou mais isolada e agora, vacinada, começa a sair, quer voltar para a vida física, mas entende que não vai mais sair do digital”.

Os resultados apresentados por Juliana Vanin, da NOZ Pesquisa & Inteligência foram surpreendentes. Veja só!

-82% dos entrevistados afirmam que estão preparados ou extremamente preparados para jornada flexível e maior autonomia;
-78% estão preparados ou extremamente preparados para o home-office ou o modelo híbrido. Entre esse público, 69% fazem uso profissional de redes sociais;
-51% usam ferramentas de colaboração online, e
-41% estão acostumados com tecnologia e aplicativos de gestão.

 

Celebração dos 6 anos da Maturi e Fechamento Musical

E para encerrar o Festival de Trabalho e Empreendedorismo 50+ edição 2021,  foi comemorado o aniversário dos 6 anos de Maturi, onde tivemos um show musical animado pelo artista Vandinho. Os participantes do evento junto com os colaboradores da Maturi brindamos mais um ano de sucesso desta empresa dedicada ao progresso e bem-estar dos maturis. Parabéns Maturi!

 

Clique AQUI para adquirir o Ingresso Solidário e ter acesso às gravações dos 4 dias do MaturiFest na íntegra pela MaturiAcademy.

Você também poderá gostar de ler: Como alcançar a longevidade e se manter jovem

Silvia Triboni

Editora e Produtora de conteúdo em Longevidade e Turismo. Fundadora do projeto Across Seven Seas, que divulga ao público 50+ informações e experiências para envelhecimento com relevância. Deputy Ambassador na Aging2.0 Lisboa, comunidade destinada à acelerar a inovação para enfrentar os desafios e oportunidades do envelhecimento.
Silvia Triboni

Últimos posts por Silvia Triboni (exibir todos)