Repórter 60+ dá voz e poder ao sênior em Portugal

Uma boa notícia para quem gosta do jornalismo cidadão: o tão almejado curso Repórter 60+ chegou para dar voz e poder ao sênior em Portugal.

Após mais de cem repórteres 60+ formados em São Paulo, pessoas com 60 anos, ou mais, residentes em Portugal poderão se capacitar em técnicas de jornalismo, e praticá-las em seus próprios projetos de comunicação, ou mesmo no mercado de trabalho, tendo em vista a qualidade da formação que nos deixa preparados para a vida prática no jornalismo. Veja como ao final do texto.

Quando eu imaginaria todas as possibilidades de crescimento intelectual, técnico e social que a vida 60+ poderia me oferecer?

Hoje em dia o leque de atividades que permitem o “long life learning” e o “envelhecimento ativo” ao adulto mais velho é algo surpreendente.

Tanto em épocas analógicas como na atual (a digital), o sênior interessado em se manter ativo, em ampliar os seus conhecimentos, em desenvolver sua saúde global, ou empreender não tem do que reclamar. Só depende de seu interesse em buscar novos conhecimentos e em engajar-se em projetos que o façam se sentir produtivos e felizes, como, por exemplo, o curso Repórter 60+.

Um crachá ostentação

repórter 60+

 

Sinto-me legitimada a afirmar tudo isso pois fiz parte de sua primeira turma em São Paulo, tendo aprendido tudo o que eu aplico no projeto que criei após a minha aposentadoria: o projeto Across the Seven Seas, cuja missão é estimular o público maturi à busca da longevidade ativa e do aprendizado constante.

Graças à minha qualificação como Repórter 60+, e ao meu crachá!, tenho sido aceita no corpo de mídia da maior conferência de tecnologia da Europa, a Web Summit, onde realizei coberturas das últimas três edições. Sem falar que tenho a honra de ser colunista neste valoroso Maturi Blog, e outros no Brasil e em Portugal.

Receber o crachá de Repórter 60+ significou uma transformação em minha vida sênior, como pessoa e como profissional, uma vez que permitiu-me desenvolver uma nova competência que tem colaborado na manutenção de minha boa longevidade e autoestima.

Ah! Quando eu digo que o curso Repórter 60+ é “tão almejado” é porque conheço inúmeras pessoas que lamentaram serem menores de idade, e não poderem se inscrever nesta capacitação. É sério! Hahahah!

Focas 60+: a origem

Para quem não sabe, Foca é o termo usado no Brasil para o jornalista novato, que ainda não tem experiência.

Muitos dos Repórteres 60+ Brasileiros hoje em dia nem podem ser mais chamados de Focas, pois desde 2018 se lançaram nas atividades do jornalismo, assim como eu e criaram sites, revistas eletrônicas, canais de entrevistas, e Spotfy podcasts, a maioria destinados à valorização do público sênior.

Confira os depoimentos de alunos nesta reportagem feita pela TV Gazeta, de São Paulo, por ocasião da realização do trabalho de campo que fizemos como conclusão do curso:

 

 

Apoio público à formação

Totalmente gratuito, o curso Repórter 60+  foi criado pela jornalista e editora de redação da Dínamo Editora, Lilian Liang,  “com o objetivo de formar repórteres cidadãos, por meio do ensino de fundamentos de jornalismo, familiarização com ferramentas tecnológicas e experiência prática.”

Com o apoio do Conselho Estadual do Idoso de São Paulo e da Secretaria de Desenvolvimento Social do Governo do Estado de São Paulo, e, em parceria com a Associação Centros Etievan, este curso em São Paulo tem a duração de 3 meses, com aulas semanais, sempre acompanhadas de professores atuantes no mercado jornalístico.

“Aqui tem espaço para todo mundo! No Profissão Repórter 60+ vamos ensinar a produzir matérias em texto, áudio, vídeo e fotografia, sempre levando em conta os princípios do jornalismo ético e bem-feito. O objetivo é que o aluno domine as ferramentas e desenvolva um olhar crítico sobre o ofício, quem sabe encontrando no jornalismo uma nova vocação e uma segunda (ou terceira…) carreira.” Lilian Liang.

A missão do Curso Repórter 60+ é “Ensinar os alunos a produzirem matérias em texto, áudio, vídeo e fotografia, sempre levando em conta os princípios do jornalismo ético.

Em jornalismo, os alunos aprendem termos como lead, fake news, entrevista, fonte, edição, off e outros conceitos importantes para a construção de uma reportagem. Nas aulas de tecnologia, os participantes exploram aplicativos e outros recursos tecnológicos fundamentais no trabalho do repórter.

Conhecimento e prática = Protagonismo do sênior no Brasil e em Portugal

Com o objetivo de dar voz a essa crescente parcela da população por meio do ensino de jornalismo e tecnologia, o curso Repórter 60+ Portugal e Brasil favorece o empoderamento e o protagonismo do adulto mais velho.

“Mas talvez o maior mérito do projeto tenha sido proporcionar a essas pessoas um espaço de aprendizado e experimentação, de resgate de autoestima e descoberta de potencialidades”, diz Lilian Liang, idealizadora do projeto.”

-No Brasil, em São Paulo, o curso Repórter 60+ é recorrente e atualmente ocorre no SESC Avenida Paulista.

-Em Portugal, o curso Repórter 60+ Portugal decorre de uma iniciativa da Aptare/Dínamo Editora, com o apoio da Across the Seven Seas.

O conteúdo das aulas em Portugal será ministrado por experientes professores jornalistas Portugueses e Brasileiros, estimulando o intercâmbio cultural. A primeira turma tem 30 vagas e terá início em 05 de maio, às 4as feiras, das 19h às 22h30 (horário de Portugal). Em virtude da pandemia, as aulas acontecerão em ambiente online.

Além de ter 60 anos, ou mais, os pré-requisitos para participar são:

-Ser residente em Portugal;
-Alfabetizado;
-Possuir um computador/tablet e um telefone móvel com acesso à internet;

Se você se enquadra nestes requisitos e ficou interessado, faça a sua inscrição clicando AQUI.

Para dúvidas: rep60portugal@gmail.com

Facebook: Repórter 60+ Portugal

Instagram: Rep60 Portugal

Não tenho palavras que possam exprimir o meu agradecimento a Lilian Liang, e a todos os jornalistas professores e profissionais da ciência com os quais pude aprender uma nova profissão, e ainda, aprofundar o meu trabalho no projeto Across the Seven Seas.

Sou Repórter 60+ e acompanharei o curso Repórter 60+ Portugal, e formação de outros colegas de profissão, para, quem sabe, um dia podermos trabalhar juntos no jornalismo. 

Gostou do artigo? Comente abaixo.

Silvia Triboni

Editora e Produtora de conteúdo em Longevidade e Turismo. Fundadora do projeto Across Seven Seas, que divulga ao público 50+ informações e experiências para envelhecimento com relevância. Deputy Ambassador na Aging2.0 Lisboa, comunidade destinada à acelerar a inovação para enfrentar os desafios e oportunidades do envelhecimento.
Silvia Triboni

Últimos posts por Silvia Triboni (exibir todos)