Startup de Portugal une trabalhador Maturi à comunidade local

Impacto Social: conheça um case de serviços digital que favorece maturis em Portugal.

Se há algo em tempos de pandemia que não se modificou em minha vida, é a curiosidade por saber o que acontece à minha volta. Não é porque não posso explorar novas cidades, países e paisagens que desativei as “rodinhas que tenho nos pés”, como diz um amigo, pelo meu jeito de ser.

Essas tais “rodinhas” ganharam um upgrade (atualização). Agora são digitais e estão nas pontas dos dedos, permitindo ir para lugares mais distantes, fazer contato e networking com pessoas incríveis, criativas e que agregam muito valor ao nosso mundo.

Em uma de minhas últimas andanças virtuais tive a felicidade de conhecer Elena Durán, a fundadora da startup 55+, enquanto participávamos da Web Summit 2020, conferência global de tecnologia e inovação online ocorrida em Lisboa, no início de Dezembro.

Em 2019, já havia tido a oportunidade de entrevistar uma integrante da startup 55+, entretanto, somente agora tive o privilégio de conversar com a criadora desta que é uma fonte de trabalho e orgulho para o público Maturi. Solicitei entrevista em nome da Maturi e Elena aceitou.

Mas o que é a 55+?

Trata-se de uma plataforma online que tem por missão juntar pessoas com mais de 55 anos que desejem estar ativas e podem prestar serviços de qualidade à outras pessoas. Nessa plataforma qualquer pessoa física, ou empresa, pode contratar serviços, como jardinagem, entrega de refeições, babysitting, petsitting, aulas de música e línguas, e outros.

A 55+ faz parte das startups residentes na Casa do Impacto da Santa Casa de Misericórdia de Lisboa, uma incubadora e aceleradora de projetos que promovam soluções inovadoras na resolução de problemas e necessidades sociais e ambientais.

Razões para fundar uma startup de impacto social

Foi gratificante conhecer Elena Parras Durán, uma profissional da área de Marketing e Comunicação que deixou a sua carreira bem sucedida, para tornar-se uma empreendedora social na inclusão do Maturi no mercado de trabalho.

Decidida a realizar algo a mais pelo bem social e tendo por referência a preocupação que nutria pela saúde emocional de seu pai, um profissional ativo que se aposentara em pleno vigor físico e social, Elena passou a estudar o assunto a fim de obter caminhos que possibilitassem a ele ter uma vida saudável, pós aposentadoria.

Elena, assim como muitos de nós, não via coerência no que lia quanto ao envelhecimento ser um problema social, pois encara os tempos atuais como um privilegio. “O privilégio de termos de viver mais anos, e mais anos saudáveis. Se temos um privilegio que traz novos desafios, então são precisas novas soluções.”

Foi assim que nasceu a startup: uma plataforma humana com base tecnológica, para poder partilhar o conhecimento e a experiência de vida das pessoas com mais de 55 anos de idade com qualquer pessoa da comunidade local.

impacto social
Elena Duran

Quem são os especialistas 55+ de Portugal?

Segundo a fundadora da 55+, o perfil dos especialistas cadastrados aponta uma população majoritária de mulheres, composta de Maturis dos 55 aos 82 anos, Portugueses e imigrantes moradores de Lisboa.

“Homens e mulheres que têm tempo, conhecimento e o gosto por fazer o trabalho, e de querer continuar a partilhar.”

Aulas de línguas, de música, comidas a domicílio, jardinagem, acompanhamento de crianças, de pessoas de mais idade que precisem, alguém para ficar com os animais de estimação, esses são alguns dos serviços que a comunidade de Lisboa pode receber dos especialistas 55+.

E, o mais interessante é que estes serviços são prestados para pessoas individuais, e para empresas que os contratam para prestação de serviços pontuais.

Qual a avaliação dos serviços prestados pelos Maturis Portugueses?

Meu interesse pela valorosa criação de Elena só aumentava conforme conversávamos.

Sentir o amor que Elena demonstrava ao falar da 55+, de seus especialistas e de sua equipe, inspirava-me mais respeito e honra por conhecê-la e por ter a oportunidade de saber mais sobre tão relevante empreendimento que une o trabalhador Maturi à comunidade.

Interessei-me, também, em saber da avaliação que a valorosa startup recebe de seus clientes pelos serviços prestados pelo profissional Maturi. Elena contou-me mais sobre o funcionamento da empresa nestes termos

“Antes de começarmos a disponibilizar o serviço de forma remunerada todos os especialistas passam por uma experiência. É uma forma de garantirmos e controlarmos a qualidade do que fazemos, e de garantirmos a nossa continuidade, e o bem-estar de todos os colegas,

Fazemos uma avaliação standard com pontuação de 1 a 5 para conhecermos a satisfação do cliente em relação ao serviço prestado, e de forma global. São perguntas operacionais, sem levar em consideração o impacto social.

Neste sentido a avaliação global do que prestamos até agora é de 4,8 pontos.

Realmente os nossos serviços são muito bem recebidos e bem avaliados, e não porque o prestador é pessoa com mais idade, é sim porque o serviço é bem feito.”

Era esperado saber de tão boa avaliação. Afinal, experiência de vida somada à experiência profissional são características particulares e especiais que a destacarem o trabalho dos adultos mais velhos.

Transformações sociais que decorrem do trabalho 55+

Muito mais do que avaliar a qualidade dos serviços prestados pelos especialistas, Elena e equipe estão a desenvolver um questionário de impacto social.

“Queremos saber se os especialistas se sentem mais reconhecidos, para ver se houve algum impacto de transformação em nosso colega. Queremos medir, também, o impacto na sociedade. Saber, por exemplo, se a percepção do cliente muda em relação à sua ideia a respeito do potencial de uma pessoa mais velha como trabalhador. Para mudar a percepção de que uma pessoa 55+ é uma pessoa fraca, que não pode trabalhar.”

Empreendedorismo social: é árduo mas vale a pena!

Por fim, considerando que a Maturi desenvolve o público 50+ no empreendedorismo, perguntei à Elena, uma empreendedora social, que conselho daria a quem desejasse atuar no empreendedorismo social. Essas foram as suas palavras:

“Eu diria que é a experiência profissional mais gratificante, e mais desafiante que eu já tive. Eu animo qualquer pessoa que tenha essa vontade a fazê-lo. Não foi fácil tomar essa decisão pois eu estava confortável e encaminhada para seguir carreira na multinacional, mas lá eu ficaria sempre com uma dúvida de pensar o que teria acontecido se tivesse experimentado.

É muito gratificante mais um enorme desafio. O maior que eu já tive. Precisa ser muito persistente, são muitas as barreiras, cair muitas vezes e levantar de novo. Apoiar-se com muitas pessoas, muitas instituições, pois é o trabalho em equipe e colaboração que faz tudo acontecer mais rápido.

Fazer essa diferença, essa mudança e esse impacto necessário social é o que me motivou sair do conforto que tinha. É o que me motiva, e à minha equipe, a cada dia superar dificuldades. Um impacto pequenito, que esperamos seja cada vez maior. É o que nos faz estar aqui.”

Clique AQUI para conhecer a 55+ e entender porque o impacto social faz a diferença. A Maturi apoia ideias como essa e também faz parte do ecossistema de startups focadas em impacto social, através da plataforma MaturiServices. 

Clique AQUI para saber mais sobre a Casa do Impacto de Portugal.

Se preferir, assista a entrevista em vídeo que fiz com a Elena, no vídeo abaixo:

Outro artigo aqui no Blog que você poderá gostar de ler:

O que os participantes esperam da comunidade maturi em 2021

Até 2021!

Silvia Triboni

Editora e Produtora de conteúdo em Longevidade e Turismo. Fundadora do projeto Across Seven Seas, que divulga ao público 50+ informações e experiências para envelhecimento com relevância. Deputy Ambassador na Aging2.0 Lisboa, comunidade destinada à acelerar a inovação para enfrentar os desafios e oportunidades do envelhecimento.
Silvia Triboni

Últimos posts por Silvia Triboni (exibir todos)