Por que a fluência em dados é importante para reingressar no mercado de trabalho

Há pouco tempo, para se destacar em uma entrevista de emprego, era preciso ter uma segunda língua como inglês ou espanhol. Hoje em dia, uma das competências essenciais é a fluência em dados (também conhecida como data literacy)!

O mercado de trabalho mudou muito e, com isso, novas competências se tornaram necessárias. Saber o idioma dos dados, ou ter fluência em dados, também está entre as habilidades mais importantes para quem quer estar preparado para o futuro (e presente) do trabalho.

O assunto foi destaque na terceira edição do Relatório Futuro do Trabalho de 2020 do Fórum Econômico Mundial, que mapeia os empregos e as habilidades do futuro. O estudo trouxe 15 habilidades que estarão em alta até 2025, como pensamento crítico e analítico – justamente competências essenciais para trabalhar com dados.

Já no Brasil, recentemente uma análise encomendada pelo Valor Econômico às consultorias Cia de Talentos, Hays e Talenses listou os cargos que devem estar em alta no Brasil em 2022. Na lista estão profissões relacionadas ao mundo dos dados, como analista de dados, cientista de dados, data protection officer (DPO) e engenheiro de dados.

Além de estar em alta no mercado de trabalho, a fluência em dados impacta diretamente na forma como tomamos nossas decisões, pessoais ou profissionais, e em como podemos impactar o mundo. E em uma realidade em que o volume de dados segue crescendo de forma exponencial, essa habilidade se torna ainda mais necessária.

Por que a fluência em dados é importante para reingressar no mercado de trabalho

A educação em dados já é um conceito muito debatido no mundo todo, mais conhecido como Data Literacy (alfabetização em dados), ou seja, a capacidade de ler, trabalhar, analisar e se comunicar com dados.

Assim como interpretamos ou analisamos um texto num idioma, como o português, ser fluente em dados permite que usemos esses recursos para compreender dados relevantes e orientar decisões mais assertivas, por exemplo.

Por isso, a educação em dados é considerada uma das principais habilidades para atuar no futuro do trabalho e também para as empresas. Em várias áreas, a leitura e a análise de dados têm sido importantes para entender e solucionar diferentes ações da sociedade. Na pandemia, por exemplo, colaborou para entender os indicadores de saúde pública em regiões com mais casos de Covid-19 e para qualificar números de impactos da doença.

Ou seja, não só para as áreas de computação e programação essa habilidade será importante, mas para todas as áreas que desejam: perder menos tempo, ter mais assertividade em suas decisões, ter parâmetros reais nas suas pesquisas e resultados. Por exemplo, área de gestão e planejamento com a utilização de OKRs e tomada de decisão ou também marketing, com criação de campanhas e estratégia.

Como reingressar no mercado de trabalho com as habilidades do futuro

“Se você está retornando ao mercado de trabalho, uma das formas de ter um diferencial, em qualquer área, é aprender sobre educação em dados. Então, que tal começar a estudar esse idioma? Nós podemos te ajudar a encontrar essas informações, de forma simples e acessível, pois o Social Good Brasil, tem como propósito democratizar a educação em dados no país, com uma jornada de aprendizado”, destaca Fernanda Bornhausen, fundadora e presidente voluntária da SGB.

Independente de que área você atuava ou deseja atuar, existem algumas ações que vão te ajudar a entrar nesse universo:

Busque cursos e oficinas

Hoje em dia, existem ótimas opções de webséries, cursos online, oficinas práticas que vão exigir apenas algumas horas de dedicação por semana. O mais importante é escolher cursos completos, com profissionais que são referência no mercado e instituições de ensino que realmente vão agregar ao seu currículo.

Uma boa opção para o começo é a websérie gratuita do SGB no canal do YouTube, Habilidados, que apresenta em oito episódios que os dados estão mais próximos do seu dia a dia do que você imagina.

Consuma conteúdos complementares

Consumir conteúdos sobre educação em dados também é importante para se familiarizar com os conceitos. Estatística, por exemplo, é algo que a maioria das pessoas conhece apenas de forma superficial.

Por isso, é importante fazer leituras complementares que vão garantir a bagagem que você precisa para ser capaz não só de entender os dados, mas também interpretá-los e se comunicar com eles. Além disso, seguir nas redes sociais profissionais que trabalham diretamente com ciência de dados como Silvio Meira ou Ricardo Cappra vai te inspirar a seguir estudando.

 

fluência em dados
Silvio Meira é professor e fundador da Digital Strategy Company e do Porto Digital e falou sobre transformação digital no Festival SGB.

Inspire-se em casos de sucesso

Inclusive, outra boa ideia é buscar cases de sucesso para estudar e se inspirar. Você encontra esse tipo de conteúdo nas redes sociais, em eventos e em blogs especializados como o do SGB.

Depois, é só prestar atenção nas metodologias aplicadas, quais dados foram extraídos e que tipo de análise foi feita. Com isso, é possível entender quais modificações podem ser feitas para aplicar a mesma técnica nos seus desafios do dia a dia. Afinal, a educação em dados é pensada para ser aplicada nas mais diversas áreas.

Por fim, a dica que vai ser a mudança de chave essencial na sua recolocação de carreira…

Descobrir o seu nível de fluência quando o assunto são dados! Se você não sabe qual o tamanho do problema, não tem por onde começar! Como começar a lavar muita louça: primeiro você organiza por iguais e depois ensaboa para no final enxaguar. O mesmo ocorre no aprendizado de dados: primeiro você entende em que nível você está, para depois saber quais materiais buscar e aí sim estudar!

O SGB criou uma ferramenta de autoavaliação de fluência em dados inédita no Brasil, que ajuda em menos de dez minutos a descobrir qual o seu nível no assunto: iniciante, aprendiz, praticante ou mentor.

Inscreva-se AQUI para o MaturiDay, evento online e gratuito que irá abordar o tema “Como a fluência em dados pode impulsionar sua carreira ou negócio” em parceria com a Social Good Brasil no próximo dia 30/06 e receba o link da autoavaliação pelo e-mail.

Lembre-se de colocar “Maturi” no campo de indicação de organização e compartilhar o seu resultado aqui nos comentários ok?

 

*Artigo escrito pelo Social Good Brasil, especial para o Blog da Maturi, como introdução ao aprendizado de dados para o público 50+.

———-

Você também poderá gostar de ler: Conheça Silver Startup Lab: programa para empreendedores 50+

Jurandir Siqueira

Jornalista Especialista em Marketing Digital e Novas Mídias. Ajudando a conectar pessoas, empresas e negócios através do digital. Na Maturi, atua como Inbound Expert e SEO Content.
Jurandir Siqueira