“Os velhos devem sair da cristaleira”

O segundo dia do MaturiFest 2020 reforçou a necessidade de encarar novos desafios sem medo. 

Na terça-feira, dia 07 de julho, o convite do MaturiFest 2020, era “Para sair da zona de conforto” voltado para o aprendizado ao longo da vida, mindset positivo, mudança de carreira e reinvenção da maturidade. 

A tarde foi aberta com a energia do empreendedor e fundador da JR Diesel, Geraldo Rufino, o jornalista esportivo e sócio-fundador da Pinax, agência de branding e consultoria criativa, Ivan Moré, com a condução de outro jornalista, Marc Tawil, Linkedin Top Voices & Live Broadcaster, colunista de Época Negócios e conselheiro da Revista HSM.

O conteúdo girou em torno de “Como vencer o medo e se reinventar na crise?” Rufino começou a empreender com sete anos quando ensacava carvão e percebeu o valor do seu trabalho. De lá para cá, cuidou de sua carreira e saiu de office-boy a presidente de uma empresa passando por muitos percalços. “Temos crise o tempo todo.

O ser humano é autor dos seus próprios problemas. Não será uma pandemia que vai nos derrubar”, reforça o dono da maior recicladora de caminhões da América Latina. “A diferença é que atacou geral e não adianta um só curar. Se um ainda está doente, pode contaminar os outros. O mundo não parou de vez. Só está abastecendo para voltar mais forte”.

Para ele, o segredo da felicidade é acordar acreditando que este será o melhor dia de sua história. “Começo levando café da manhã para minha esposa, que é fazer networking com que está próximo, em seguida, olho no espelho e encaro o inimigo, aquele que pode me sabotar, ou seja eu mesmo, agradeço por estar vivo e aí, é só partir para o abraço”.

Esta atitude positiva é que Moré chama de desobediência produtiva, nome de um dos seus podcasts onde entrevista pessoas que, na sua visão, estão transformando o mundo usando a percepção, a ação e a coragem. “São exemplos que devemos seguir pois nem o ambiente ou adversidades os impediram de colocar para fora seus talentos e mudar o seu entorno”.

Os velhos devem sair da cristaleira
Palestra “Como vencer o medo e se reinventar na crise” abrindo o segundo dia do MaturiFest 2020.

No segundo encontro do dia, a conversa se iniciou com a seguinte pergunta: “É hora de mudar de carreira. E agora?” A mediadora foi Cecília Barboza (leia o artigo de Cecília para o nosso blog aqui), consultora de desenvolvimento humano e coach.

A psicóloga e pesquisadora na área de diversidade etária e etarismo, Fran Winandy Pereira, falou sobre a necessidade de abrir a mente na hora de fazer uma transição de carreira. “Sempre nos apegamos ao que a gente sabe fazer, mas devemos lembrar que somos pessoas múltiplas com múltiplos interesses e um deles pode ser o nosso próximo desafio”.  Ressaltou que a tecnologia é uma aliada e não um bicho de sete cabeças e agora é hora de encarar os bytes e gadgets.

Na mesma linha, o empreendedor e mentor, Wilson Trevisan, parte do princípio de buscar atividades que gostamos de fazer e nas quais as nossas competências sejam valorizadas. Ele saiu do mercado corporativo para criar sua própria empresa. Hoje, é sócio da Renaissance Executive Forums, organização internacional que reúne CEOs, presidentes e empresários. “A questão não é mais se você empreender, mas quando. E quando chegar essa hora será imprescindível ter resiliência, curiosidade e capacidade de adaptação”.

Foi o que fizeram André Pasquali, Beth Penteado e Edgard Duprat que contaram suas experiências no painel “Cases de Empreendedores 50+ em ação”, conduzido por Clea Klouri fundadora do Silver Markers e sócia do Hype 60+.

Pasquali deixou, no começo de ano, uma bem-sucedida carreira no mercado publicitário e tem aproveitado esse tempo de isolamento social para prestar assessoria na área de negócios e marketing para amigos próximos e tem como um dos seus projetos, se aventurar a ensinar e empreender. “Aproveitei esses meses para me reciclar em marketing digital e também me aprofundar em conhecer melhor o segmento de investimentos. Estou aberto a novas oportunidades e encontrar uma atividade que tenha um propósito claro.”

Dentista de formação e obrigatoriamente empreendedora logo que saiu da faculdade para montar seu consultório, Beth já deu duas guinadas em sua carreira profissional e possui agora duas empresas. Como mentora com foco em empreendedorismo e vendas, afirma:

“é possível em qualquer idade se mobilizar para um novo projeto, determinar algo que a gente possa fazer, que fazem os olhos brilharem e sem se preocupar com a opinião alheia. Se conseguimos sensibilizar as pessoas neste sentido, já terá valido a pena!”

Duprat é um destes que tem dançado conforme a música, literalmente. Bailarino do Ballet Stagium, videomaker de dança, designer de iluminação de shows, diretor de eventos corporativos, proprietário do Colonial Hostel, viu suas fontes de renda minguarem com a chegada do coronavírus e não teve dúvidas, entrou na cozinha, uma de suas paixões e criou o Colonial Gourmand Congelados. “O momento crise é um momento de oportunidade, de se reinventar.

Com a maturidade, o certo é aplicar tudo que aprendemos na vida e fazer um momento de introspecção, olhar para dentro, encontrar nossas coisas boas e colocar para fora. Na hora que você se entrega de verdade, a oportunidade aparece. Se não tivesse essa pandemia, eu não teria usado o meu interesse pela comida para se tornar um negócio.”

Amor pelas amigas foi a base do projeto “Avós da Razão”. Sônia (83), Gilda (78) e Helena (91) montaram um canal no Youtube para dar um lugar de fala aos mais velhos. No painel “A voz da razão”, elas contaram para Fernando Gomes, bonequeiro e diretor de programas infantis na Discovery Kids, os desafios de levar o bate-papo descontraído que faziam, semanalmente, em uma mesa do bar para se tornar um programa de sucesso nas quais respondem sem papas na língua sobre os mais diversos temas.

A maior lição foi enfrentar o temor da tecnologia que agora dominam com destreza e acreditar que os velhos devem sair da cristaleira e se tornarem visíveis ao mundo. “Hoje, as pessoas se aposentam aos 60 anos e morrem com 90. Nestes 30 anos, não dá para ficar sentado no sofá, temos de viver a vida que nos resta e bem. Com bom humor e saúde”, sentencia a nonagenária Helena.

 

Os velhos devem sair da cristaleira
Avós da Razão foram destaque no fechamento do segundo dia de MaturiFest 2020

Foi uma das palestras mais incríveis do evento, com muito humor e sabedoria. Acompanhe um dos vídeos das Avós da Razão, que em seu canal do Youtube (no conforto de suas casas), respondem perguntas dos fãs:

Acompanhe AQUI tudo que rolou no primeiro no primeiro dia do evento: Como se manter saudável e continuar aprendendo.

Perdeu o MaturiFest 2020? Temos uma boa notícia! Ainda dá tempo de adquirir o Ingresso Solidário para ter acesso aos conteúdos incríveis e impactantes dos 4 dias de Festival! Isso mesmo! Dá pra ver e rever quantas vezes você quiser! Saiba mais clicando aqui!

Regiane Bochichi

Profissional multidisciplinar, especialista em transmídia, com sólida experiência em ações de marketing e conteúdo jornalístico, adquirida em mais de 30 anos de atuação em empresas nacionais e multinacionais do segmento de comunicação tanto em veículos como em agências.
Regiane Bochichi