O que você gostaria de saber sobre Marcelo Tas e não teve coragem de perguntar?

Último Maturi Day do ano traz um novo formato no qual os maturis poderão interagir com o multimídia Marcelo Tas que já passou dos 60 e ainda atua em diversas áreas como comunicador, ator e professor.

Se houvesse uma única definição para Marcelo Tas, o mais apropriado talvez seria a de Marco Polo da comunicação. Ele,  simplesmente, desbravou e continua explorando as fronteiras da linguagem nas várias mídias onde atua como autor, ator e diretor.

Muitos brincam que começaram a usar e trabalhar com internet quando era “mato”. Pois, para Tas, sigla formada pelas iniciais de seu sobrenome: Tristão Athayde de Souza sua relação é ainda mais antiga, uma espécie de era paleolítica.

Nos anos 70, deixou o interior de São Paulo, para estudar Engenharia Civil. Ainda na faculdade, começou a editar o jornal de humor ‘Cê-Viu?’, usando mimeográfico. Só mesmo quem é maturi conhece esta máquina que fazia cópias. Foi neste momento que o bichinho da comunicação o mordeu e o levou a cursar Comunicação Social. Não satisfeito, se matriculou no curso de atuação de Antunes Filho e daí o céu ou o espaço sideral ainda é seu limite.

Entre suas trabalhos  destacam-se o repórter ficcional Ernesto Varela (Gazeta, SBT, Record, MTV Brasil); as séries “Rá-Tim-Bum” (TV Cultura); “Telecurso” (Fundação Roberto Marinho/ TV Globo); “CQC” (Band) e do reality “Batalha Makers” (Discovery).  Atualmente, é apresentador do programa #Provoca e comentarista do Jornal da Cultura na TV Cultura.

Toda esta história, seus múltiplos talentos e inúmeras áreas de atuação serão tema do próximo MaturiDay com o mote “Aceleração e Transformação Digital para os 50+”, no dia 02 de dezembro, a partir das 17 horas.

“Encerrar o ano com uma pessoa que é um exemplo de reinvenção com mais de 60 anos, super ativa e mergulhada no mundo digital é uma oportunidade única”, afirma o CEO e fundador da Maturi, Mórris Litvak. “Será um momento muito inspirador com dicas e troca de conhecimento para os maturis que estão entrando ou estão com cabeça, corpo e alma no mundo digital”.

Além do tradicional momento pitch e o espaço de networking, este evento terá um formato diferente. O público e os participantes da comunidade do Facebook poderão fazer perguntas previamente enviadas ou ao vivo usando a plataforma Zoom.

 

Marcelo Tas

10 perguntas para fazer ao Marcelo Tas

São tantos assuntos a serem tratados que para facilitar, listamos aqui 10 dos muitos que Marcelo Tas domina para jogar luz no futuro, presente e passado da sua trajetória multimídia.

Vamos começar olhando para frente:

Sugestão 1: A inteligência artificial vai mesmo dominar nossas mentes e guiar os negócios?

Recentemente Tas, se tornou um Associado Notável da I2AI, International Association of Artificial Inteligence. A inteligência artificial é uma das principais tecnologias disruptivas da atualidade, tendo o potencial de modificar consideravelmente o modo de funcionamento das organizações. De acordo com a PWC, o mercado projetado dessa tecnologia, até 2020, atingirá US $ 70 bilhões. O grande receio é que as máquinas desenvolvidas para realizarem atividades humanas de maneira autônoma podem causar ainda mais dificuldade para a inserção dos maturis no mercado de trabalho

Sugestão 2: Nas últimas semanas, estamos ouvindo e lendo muito sobre o 5G que deve chegar com força a partir do ano que vem após o leilão realizado pela Anatel. Quais são as reais mudanças no nosso dia a dia?

O autor do melhor blog em língua portuguesa em 2007 segundo o The Bobs – Prêmio International da Deutche Welle (Alemanha), acredita que a transformação na comunicação e negócios está novamente diante de mais uma grande mudança. “Não é simplesmente uma nova onda que veio dar na praia. É uma mudança de parâmetros que irão transformar de forma robusta empresas e pessoas, e a forma como criamos e atualizamos negócios e carreiras. Com a consolidação do 4G vimos nascer tecnologias, inovações e oportunidades presentes hoje no dia-a-dia. São negócios e serviços como Uber, Ifood, Waze, Rappi… e todas as atualizações de empresas líderes que já navegam na quarta revolução, como o Magazine Luiza”.

Sugestão 3: O que espera do futuro? O que ainda quer realizar?

Pretende aumentar a sua biblioteca com mais um livro que há 3 anos vem planejando e não avançou. Enquanto isso, há três títulos dele disponíveis: Basta de cidadania obscena! , em parceria com Mário Sérgio Cortella; É rindo que se aprende: Uma entrevista a Gilberto Dimenstein e Nunca antes na história deste país, com frases antólogicas do ex-presidente Lula

Marcelo Tas também conta que tem vontade de voltar ao teatro, e cita a peça Zap, o Resumo da Ópera, de 1999, que considera “uma das melhores coisas que fez na vida.”

“E ainda quero fazer. É um projeto que está no meu horizonte. Tem sempre um maestro que descobre a existência do Zap e quer remontar. Estou muito a fim de remontar. Espero que papai do céu me dê essa chance ainda!”, conta em entrevista a Isto É.

Sugestão 4: Como encara o life long learning? Como vê a educação para os maturis?

Segundo a teoria da Pirâmide de Aprendizagem 95% do conhecimento é aprendido quando temos que ensinar alguém, explicando, resumindo, definindo e estruturando o conhecimento.

Por isso, deste a época do personagem do icônico Professor Tibúrcio, que aparecia sempre usando beca, com maquiagem carregada e longos cabelos no programa infantil educativo Rá-Tim-Bum, da TV Cultura, até as aulas do telecursos na Rede Globo, esta é uma máxima que ele sempre abraçou.

Há três anos, entrou para o conselho de professores do IBMec , é professor de comunicação e inovação de módulos em MBAs da PUCRS e na plataforma espanhola Domestika. Com parceiros, começou a a desenhar cursos que explicam ou tentam oferecer ferramentas para as pessoas se atualizarem diante da mudança que estamos vivendo na comunicação.

Sugestão 5: Sente o peso da idade?

Com tantas atividades nem se dá conta da idade. Brinca que nunca soube o que fazer com 20, 30, 40, nem 50 anos. Para ele, quando uma emissora convida alguém para apresentar um talk show é porque já passou do 60 e foi isso que aconteceu com ele.

Hoje, comanda o programa #provoca que é uma reformulação da atração eternizada por Antônio Abujamra, revisitando o formato de entrevistas que é firmado em três pilares básicos: entrevistas, filosofia e interação. Seu objetivo é trazer ousadia para a TV que vem se atualizando com a integração com as novas mídias.

Sugestão 6: Quem foram os seus mentores? Como se mantêm atualizado?

A antena de Tas está sempre ligada. Agora a atenção se volta para as novas plataformas de streaming como a Netflix e a Amazon. Como há muita oferta, tenta ser seletivo para otimizar o tempo e o conhecimento.

Quanto as pessoas que inspiraram afirma que tem um panteão de ‘gurus’. Entre eles, o diretor teatral, Antunes Filhos, o de TV, Guel Arraes e o de cinema Fernando Meirelles. Aliás, sua carreira na TV começou com trabalhos na Olhar Eletrônico, produtora onde conheceu nomes como Meirelles que se tornou um grande parceiro em vários projetos.

Sugestão 7: Hoje lidamos com a questão alarmante de polarização e de fake news. Como acha que o humor pode tratar estes temas? Consegue separar ou acaba incentivando?

Marcelo Tas esteve a frente de pelo menos dois projetos que talvez no ambiente que vivemos tivessem repercussões e consequências inimagináveis.

Um dos seus personagens mais marcantes dele foi o humorístico Ernesto Varela, um repórter fictício que ironizava personalidades políticas da época da abertura, dirigindo-lhes perguntas desconcertantes. Tornou-se célebre e entrou para a história com a sua pergunta direta a Paulo Maluf que, surpreso, virou as costas e deixou a sala em que estavam: “Muitas pessoas não gostam do senhor, dizem que o senhor é corrupto. É verdade isso, deputado?”

Em 2016, o personagem foi o centro da exposição Varela Upload no Itaú Cultural, em São Paulo. Parte significativa do acervo de Ernesto Varela está disponível atualmente em um seu site.

Dois anos depois, em 2008, foi ao ar pela primeira vez o Custe o Que Custar, mais conhecido pela sigla CQC, na Band. Com um grupo de humoristas com respaldos de jornalistas davam embasamento técnico para as piadas, especialmente as de conjuntura, de Brasília, denúncia, se criou um produto singular.

Sugestão 8: Como atravessou o período da pandemia?

Nos últimos 20 anos, sua rotina era participar, pelo menos uma vez por semana, de palestras, seminários e treinamentos com empresas, escolas e instituições públicas presencialmente e sofreu um baque em março de 2020.

Começou então a participar de lives, workshops, cursos on-line ampliando seu repertório. Além dos meus assuntos de estudo centrais- Comunicação, Transformação Digital, Empatia, Design Thinking… – surgiram novas demandas e temas desafiadores como Telemedicina e Autismo. Foram alcançadas cerca de 10 milhões de pessoas, número só possível de se obter devido à vida conectada e rastreada em cada uma destas ações.

Sugestão 9: Como podemos lidar com as redes socias em nosso favor?

Além da ampliação de negócios, é imprescindível a preservação da interação humanos. O caminho é o “imbricamento de tecnologia com valores humanos para fazer o que precisa ser feito: melhores produtos e serviços para a construção de uma nação mais próspera, justa e com oportunidades iguais para todos.”

O primeiro passo dado a se dado é consciência de cada um. Se acredita que a internet é gratuita, mas “pagamos” com dados pessoais que as plataforma tem usado para ganhar dinheiro. Segundo o jornalista, do jeito que estamos usando a internet, o efeito dela, dessa aceleração de dados descontrolados não ajuda ninguém.

Sugestão 10: Como dá conta de fazer tantas coisas ao mesmo tempo? E dá para começar a ter uma vida multitarefa aos 50 mais?

Aqui, Marcelo Tas poderá contar como conciliou tarefas díspares como colunista e colaborador dos seguintes veículos: Folha de São Paulo; O Estado de São Paulo; Isto É; revista Trip; revista Crescer; rádios CBN, Bandnews FM e 89FM e ao mesmo tempo desenvolveu games educacionais interativos, entre eles, o “Beco das Palavras”, para o Museu da Língua Portuguesa, em São Paulo; e “Humano”, para o Museu do Amanhã, no Rio de Janeiro.

Hoje, suas redes sociais tem cerca de 10 milhões de seguidores e é um dos influenciadores mais premiados do país: Prêmio Comunique-se (2007, 2008, 2009, 2010, 2015, 2019); Especialistas da Comunicação (2020, categoria Cultura).

Já tem bastante inspiração? Agora pense nas suas perguntas e aproveite o último MaturyDay do ano.

Para recordar

Este ano tivemos duas edições do MaturiDay com palestras, pitchs e salas de networking. O primeiro deles, em 10 de junho, foi com o tema “Como ganhar dinheiro na Economia Criativa: Oportunidades e desafios para os 50+” com a Gestora de Comunidade do Elo7, Nathália Raggi que além de falar do mercado trouxe exemplos práticos como vender usando as plataformas de Marketplace como a Elo .

No dia 25 de outubro convidado Marcelo Nakagawa, professor de Inovação e Empreendedorismo do Insper tema “Novas Oportunidades de Carreira no Pós Pandemia” que deu uma “chacoalhada” nos maturis dando dicas preciosas a apontando as oportunidades que a tecnologia e a inovação oferecem.

“ Em 2020, vamos continuar trazendo cada vez mais conteúdo inspirador e prático para ajudar nosso público a encontrar oportunidades de renda e ocupação”, promete Litvak. “E se a pandemia realmente tiver acabado, vamos adotar um modelo híbrido com participantes presencias e outros conectados pelo Brasil e mundo afora”.

O MaturiDay tem o patrocínio de Nutren Senior: nutrição reforçada para os 50+.

Serviço:

MaturiDay

“Aceleração e Transformação Digital para os 50+” com Marcelo Tas

Dia: 02 de dezembro

Horário: 17h às 20h

Inscreva-se AQUI.

Você também poderá gostar de ler: O Livro da Inspiração – uma história de sucesso do Momento Pitch MaturiDay

Regiane Bochichi

Profissional multidisciplinar, especialista em transmídia, com sólida experiência em ações de marketing e conteúdo jornalístico, adquirida em mais de 30 anos de atuação em empresas nacionais e multinacionais do segmento de comunicação tanto em veículos como em agências.
Regiane Bochichi